terça-feira, 4 de julho de 2017

MULTA OU ASSALTO Radar vira ponto de assaltos em Londrina

Paulo Monteiro/NossoDiaA bandidagem desenvolve uma nova modalidade de roubo nas ruas de Londrina. Próximo ao radar, ladrões aproveitam a redução de velocidade por parte dos motoristas e atacam.

Dois homens armados estariam agindo na rodovia Carlos João Strass, em frente a uma garagem de ônibus, na região norte, em direção ao centro do município. Para escapar da ação criminosa, uma vítima acelerou o carro, superou o limite de velocidade (60 km/h) da via e foi multada.

O caso ocorreu no mês de junho com a esposa do vendedor Edson Nogueira Júnior. Segundo ele, a mulher estava descendo a rodovia Carlos João Strass. Ao se aproximar da passarela, a aproximadamente 50 metros do radar, quando diminuiu a velocidade do veículo, dois homens em uma motocicleta começaram a bater no vidro do carro com armas, exigindo que parasse.

"Ela ficou muito assustada, acabou acelerando o carro e passou pelo radar acima do limite de velocidade, sendo flagrada naquele trecho. Tomou uma multa de R$ 190, mas, pelo menos, conseguiu escapar dos bandidos, sem ferimentos", diz o vendedor sobre a suposta tentativa de assalto.

Ela ficou muito assustada, acabou acelerando o carro e passou pelo radar acima do limite de velocidade, sendo flagrada naquele trecho. Tomou uma multa de R$ 190, mas, pelo menos, conseguiu escapar dos bandidos, sem ferimentos", diz o vendedor sobre a suposta tentativa de assalto.

Apesar de não ter o carro atingido, o pintor Emanoel Fontinele conta que já flagrou alguns garotos atirando objetos da passarela (no mesmo local) sobre os veículos na rodovia. "De vez em quando, uns moleques jogam pedras da passarela em cima dos carros. Acho que a ideia deles é fazer com que o motorista pare o carro. Sorte que ninguém é louco de estacionar por aqui", conta ele.

Trabalhando diariamente às margens da rodovia, o auxiliar de serviços gerais Décio Santos afirma que ainda não assistiu tentativas de assalto no trecho.
Porém alerta sobre os riscos na região. "Não há casas por perto. Só indústrias, que fecham as portas no fim da tarde. Este ‘pedaço’ é escuro, perigoso e sem movimentação de pedestres", ressalta o auxiliar de serviços gerais, acrescentando que muitos funcionários e consumidores de um shopping localizado a cerca de 300 metros da rodovia, no Jardim Pacaembu, também usam o trecho em direção ao centro de Londrina.

Se não há ‘B.O’...

O major Nelson Villa Júnior, atual comandante da 4ª Companhia Independente de Polícia Militar, responsável pelo patrulhamento da região norte de Londrina, adianta que não há indicativos de ataques criminosas neste trecho da Carlos João Strass.

"Ainda não temos registros dessas ações naquele local. Seja de roubo consumado ou de tentativa de roubo. Não há reclamações", informa o major, destacando a importância do registro do boletim de ocorrência (B.O) por parte da vítima, usado para direcionar o serviço policial.

"Caso contrário, não podemos encaminhar uma equipe de policiais especialmente para cuidar deste lugar, que é ermo. Vale reforçar que a atuação da Polícia Militar é elaborada em cima de processamento informatizado de dados georreferenciados. A recomendação, sempre, é que a vítima registre um boletim de ocorrência para servir de base para o trabalho das forças de segurança", conclui.
Paulo Monteiro/NossoDia

Nenhum comentário:

Postar um comentário